• Andréa Silveira da Silva

Geração Z e sustentabilidade: como os jovens se relacionam com as causas ambientais


Não por acaso, a Geração Z é conhecida como a geração da sustentabilidade. Composta por aqueles nascidos entre 1997 e 2010, essa geração é a primeira geração que entendemos por conectada.


Já nascidos em uma sociedade amplamente globalizada e familiarizados com a tecnologia desde muito jovens, os membros dessa geração têm acesso irrestrito a informações sobre aquecimento global, desmatamento, poluição - e, por isso, se importam mais que as outras gerações com o futuro do nosso planeta.


Entretanto, essa geração também é a mais economicamente vulnerável. Por conta de seu novo modo de viver mais voltado para a vida em comunidade, o respeito ao meio ambiente e as pequenas economias circulares - não está mais em suas prioridades o acúmulo de riquezas, mas, sim a redução de práticas consumistas e que geram excessos.


Se você conhece algum membro dessa geração, provavelmente ele já te deu uma bronca por não separar o lixo reciclável, criticou a quantidade de plástico em alguma embalagem e te sugeriu uma refeição vegana para economizar água. As gerações predecessoras enxergam seus comportamentos como arrogância - mas, na verdade, a Geração Z tem uma maneira muito própria de se relacionar com o seu ambiente e a sociedade. Vamos entender um pouco mais sobre seus hábitos e valores?



Testemunhas do aquecimento global


A Geração X, composta pelos nascidos entre os anos 60 e 80, acompanhou a aceleração econômica, o desenvolvimento de novas tecnologias e diversos acontecimentos culturais positivos durante os seus anos formativos: essa geração conseguiu construir riquezas a partir de investimentos, é a que teve maior participação no mercado imobiliário e testemunhou - e aderiu - a muitos dos hábitos que só se mostraram nocivos ao meio-ambiente muitos anos depois.


De maneira semelhante, a Geração Y, conhecida como Millennials, ainda participou de muitos desses hábitos nocivos e herdou alguns comportamentos da sua predecessora. Porém, diferentemente da Geração X, os millenials testemunharam eventos globais já menos favoráveis.


Recessão econômica, a quebra de alguns mercados e o desaparecimento das profissões de seus pais e avós para as inovações tecnológicas e a industrialização tornaram a Geração Y já menos positiva do que a sua predecessora e já com dificuldades econômicas. Eles também foram a geração que iniciou um pensamento ecológico: hábitos como reciclagem, debates sobre aquecimento global e a preocupação com um futuro já não tão positivo apareceram aqui.


Foi nesse cenário que surgiu a Geração Z: criada com a preocupação ecológica passada por seus pais da Geração Y, porém, testemunhando as consequências dos hábitos das gerações anteriores os prejudicando diretamente. Poluição, mudanças climáticas irreversíveis, derretimento de geleiras, morte de animais marinhos e perspectivas alarmistas são apenas algumas das informações que essa geração já nasceu na ponta dos dedos.


Acesso ilimitado à informação: o problema ou a solução?


Não é novidade que a forma como a Geração Z acessa a informação gera estranhamento nas gerações anteriores: sempre conectados, os “Gen Z-ers” estão o tempo inteiro em seus celulares, se relacionam através das redes sociais e são totalmente virtuais. Muitos se preocupam com as consequências a longo prazo desse comportamento para a saúde física e mental deles - porém, os próprios garantem que esse estilo de vida é o que vai permiti-los salvar o mundo.


Salvar o mundo? Parece ambicioso - porém, está no centro dos valores dos membros dessa geração tentar salvar o mundo do aquecimento global, da poluição e do consumismo. Proteger a natureza e criar uma sociedade mais integrada com o meio-ambiente já faz parte de suas vidas de maneira que cada vez menos se vende carros, por exemplo, pois os Gen Z-ers enxergam os carros como um método de transporte pouco eficiente e muito poluente. Coworking, coliving, zero-waste são só algumas das práticas que já são cotidianas para esses jovens.


Através da conexão global proporcionada pela internet, essa geração acompanha, em tempo real, os impactos positivos e negativos de seus hábitos para o meio-ambiente e conseguem se organizar e coordenar grandes mudanças. Monitorando, pressionando e cobrando organizações por melhores comportamentos ambientais, participar ativamente de causas ambientais é, para a Geração Z, muito mais que um posicionamento ideológico, mas uma questão de autopreservação.

A urgência de criar um mundo melhor


Diferente dos Millennials que aderiram a causas ambientais para criar um mundo melhor para a próxima geração, a Geração Z não tem escolha: para que eles consigam viver em um planeta habitável, eles precisam lutar por esse planeta com as próprias mãos - e com urgência.


É esse senso de urgência que move a forma como a Geração Z se relaciona com causas ambientais: eles querem posicionamentos das marcas e dos governos para já. Para eles, promessas de pequenas melhorias não são o suficiente.


Carbono zero, lixo zero: por isso esses jovens também são conhecidos como “geração zero”. Suas pautas ambientais não têm espaço para a redução de poluentes, elas são motivadas pelo fim deles. Combustíveis fósseis são considerados, por eles, um atraso.


Assim como objetos descartáveis, embalagens não recicláveis e desperdício de recursos naturais - todas essas coisas são vistas como hábitos do passado que devem acabar o quanto antes.


É desse pensamento que surgem os embates entre a Geração Z e as gerações que os antecederam: todas essas são mais moderadas, com um pensamento orientado ao longo prazo e às pequenas mudanças, enquanto a geração atual é mais urgente, rápida e decidida em suas demandas.


E é também por isso que as marcas que querem se relacionar com a Geração Z precisam se posicionar como eles pensam e entendem o mundo: de maneira transparente, promovendo mudanças efetivas e tomando medidas para proteger o meio-ambiente de verdade. Pois, conectados como são, qualquer posicionamento da sua marca é compartilhado em questão de minutos - e é melhor que seja de forma positiva, não é?


Por isso, a Quintal está à disposição para te ajudar a fazer parte da sustentabilidade à maneira da Geração Z, promovendo ações de impacto ambiental de verdade. Entre em contato!