• Andréa Silveira da Silva

Teoria da Mudança: uma solução para a iniciativa social



Você já ouviu falar em Teoria da Mudança? Essa teoria é uma ferramenta para analisar negócios de impacto social - criada especificamente para analisar seus impactos e auxiliar no seu planejamento.


Através da Teoria da Mudança, empreendedores podem planejar, executar e avaliar o real impacto social de seus negócios com base em métricas materiais, sem depender de especulações ou medidores de natureza abstrata.


A iniciativa social está sempre em busca de um balanço muito delicado entre a geração de lucro e a geração de mudanças efetivas na comunidade que busca beneficiar, e, hoje, o maior desafio que enfrenta é a dificuldade de olhar para a iniciativa social através de uma perspectiva própria, e não necessariamente igual àquela de quando analisamos negócios puramente comerciais.


Como funciona a Teoria da Mudança?


Através da análise dos produtos oferecidos, dos resultados alcançados e principalmente do impacto causado através de indicadores palpáveis, a Teoria da Mudança oferece um norte para que os gestores avaliem os impactos a curto, médio e longo prazo na sociedade ou comunidade na qual a empresa está inserida.


A análise é feita dividindo a empresa nessas três principais categorias (resumidas em Produtos, Resultados e Impactos) e opera principalmente dividindo os pequenos objetivos e os grandes objetivos, para que estes estejam alinhados e que o cumprimento dos pequenos objetivos ajude a cumprir os objetivos maiores e de longo prazo.


Essa teoria é, basicamente, um modelo de negócio: uma lógica que pode ser aplicada a um infográfico, permitindo aos empreendedores observarem e estudarem os próprios empreendimentos através da óptica da mudança.


Três passos para começar a aplicar a Teoria da Mudança na sua empresa

Antes de colocar a mão na massa com o seu próprio modelo de negócios, você pode seguir esses três simples passos:


1. Envolver os stakeholders no processo;


A importância de envolver os stakeholders no processo de desenvolvimento, planejamento e análise da sua empresa de impacto social é imensurável. Primeiro, pois são esses stakeholders que podem avaliar de maneira plural o seu negócio para além da lógica de produção clássica.


Segundo, pois por stakeholders aqui estamos falando de todos os interessados na sua iniciativa: não apenas economicamente, mas também socialmente - são os líderes da comunidade que você vai beneficiar, representantes do grupo minoritário ao qual você está prestando assistência, os membros da comunidade na qual sua empresa está inserida ao lado dos acionistas, funcionários e investidores, o que possibilita que você olhe para todos os aspectos da iniciativa através de diversas óticas.


2. Conhecer o problema que a sua empresa pretende resolver;


Quando falamos em problemas sociais, são frequentes as generalizações e lugares-comuns através das quais nós os entendemos. Porém, essas linhas gerais que sabemos sobre devido problema social não são o suficiente para estruturar um plano para resolvê-lo.


Uma iniciativa social que pretende ter um impacto real na comunidade que vai assistir precisa conhecer a fundo o problema que vai tentar resolver.


Por isso é essencial que você converse com especialistas, conheça estudos, ouça os movimentos sociais envolvidos com esse problema e realmente o entenda para além das pré-concepções.


3. Definir os objetivos de longo prazo.


Após ouvir os stakeholders e realmente entender o problema social, você pode começar a definir os objetivos de longo prazo para a sua empresa. Seja esse objetivo algo mais específico e delineado para aquela comunidade imediata, como um pequeno grupo de um bairro específico ou uma comunidade vulnerável da cidade, ou algo mais abrangente, que envolva uma comunidade à nível nacional ou um grupo muito grande de pessoas - é essencial que os seus objetivos de longo prazo sejam claros.


Não basta ter um objetivo assistencialista a curto prazo. É preciso tomar para si a responsabilidade de promover um impacto social positivo à longo prazo e que possa ser observado através de dados, como aumentar a empregabilidade de um grupo vulnerável que podemos medir em porcentagem, ou reduzir a fome em devida comunidade, que pode ser também medida em números.


Agora que você já cumpriu os primeiros passos, você pode começar a desenhar o seu modelo de negócios. Para te ajudar, o site da Teoria da Mudança tem uma seção cheia de exemplos para te inspirar!


Mas - você já notou que não é uma tarefa fácil garantir o impacto social da sua iniciativa. Por isso, a Quintal está à disposição para te ajudar a aplicar a Teoria da Mudança no seu negócio, além de oferecer várias soluções focadas no capital social de uma empresa. Entre em contato!